SBPPC

 
Hora de ajudar na luta contra superbactérias
10/11/2017 Prevenção ao surgimento de resistência aos antimicrobianos precisa envolver pacientes e profissionais que atuam na área da saúde. A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou em 2015 o Plano de Ação Global em Resistência aos Antimicrobianos, com recomendações para que os países consigam combater esse problema de saúde pública. A preocupação é grande já que a resistência aos antimicrobianos pode deixar a área de saúde com cada vez menos opções para o tratamento de infecções. Por isso, a OMS recomenda esforços em diferentes frentes de trabalho e em vários setores. Os pacientes e profissionais da saúde também têm um papel importante no combate a este problema. Conheça algumas medidas: Pacientes Utilize antibiótico somente com receita de um profissional habilitado. Não use antibióticos que sobraram de tratamentos anteriores. Não divida seu medicamento com outra pessoa, pois a infecção pode ser diferente. Não tome antibiótico para gripe. Gripe é uma doença provocada por vírus e não é tratada com esse tipo de medicamento. Consulte sempre um médico antes de consumir medicamentos. Uma dor de garganta, por exemplo, nem sempre significa uma infecção e, na maioria das vezes, não é necessário consumir antibióticos. Termine o tratamento, conforme a orientação do médico, mesmo que já esteja se sentindo melhor. Previna infecções com medidas simples como lavar as mãos, manter a vacinação em dia, cobrir nariz e boca ao espirrar e fazer sexo protegido. Profissional responsável pela prescrição Investigue o tipo de agente que pode estar causando a doença. Busque evidência clínica, laboratorial ou por imagem para o diagnóstico. Verifique qual parte do corpo concentra a infecção. Informe-se sobre o perfil de sensibilidade dos antibióticos utilizados em seu hospital antes de prescrever. Converse com outros especialistas. Monitore o paciente e reduza a prescrição quando possível. Profissionais de saúde como enfermeiros, fisioterapeutas e farmacêuticos Cuide da limpeza das mãos, dos instrumentos de trabalho e do ambiente no serviço de saúde. Antes de dispensar ou administrar antimicrobianos, verifique se estão prescritos conforme as diretrizes de tratamento. Relate os casos de resistência à comissão de controle de infecção hospitalar. Oriente os pacientes sobre o uso correto dos antimicrobianos e os perigos da automedicação. Converse com o paciente sobre prevenção de infecções como vacinação, higiene das mãos, sexo seguro entre outros. Fonte: Ascom/Anvisa
 

Fique por Dentro

Tratamento para câncer de próstata ganha genérico inédito
20/11/2017 Medicamento genérico acetato de abiraterona é indicado para o tratamento de pacientes com câncer de próstata.
Ler mais...
 
O potencial farmacológico dos produtos naturais
17/11/2017 Quase meio a meio: assim se dividem os medicamentos em relação às fontes de seus princípios ativos. Do total disponível no mercado, 49,6% são compostos sintéticos, geralmente fabricados a partir do petróleo, enquanto 50,4% originam-se de produtos naturais ou derivados.
Ler mais...
 
O que queremos para a vigilância sanitária no Brasil?
17/11/2017 Conferência nacional quer construir Política Nacional de Vigilância em Saúde e debater o direito à promoção e proteção da saúde.
Ler mais...
 
Soro contra picada de animais ganha regra específica
16/11/2017 Nova regulamentação da Anvisa define regras específicas para soros hiperimunes, utilizados para tratar mordidas e picadas de animais e insetos.
Ler mais...
 
Reunião FOCEP
16/11/2017 Na reunião do Focep do dia 11 de dezembro, a Dra. Renata Miranda Parca (ANVISA) irá falar sobre a Consulta Pública que envolve terapia celular.
Ler mais...
 
©SBPPC - Sociedade Brasileira de Profissionais em Pesquisa Clínica - Denvolvido por:Boschi Design