SBPPC

 
Bactérias encontradas em pacientes com asma apontam cura para a doença
08/11/2017 A gravidade da doença poderá ser identificada pela análise do microbioma pulmonar. Método ajudará tratamentos personalizados Estudos têm mostrado o quanto a diversidade de bactérias no corpo humano pode influenciar no surgimento de enfermidades, como o diabetes e o lúpus. A microbiota do intestino tem sido o alvo desses estudos, mas um grupo de pesquisadores dos Estados Unidos desconfiou que o mesmo processo poderia estar relacionado à asma. Ao analisar a composição de micro-organismos presentes nos pulmões de pessoas com a complicação respiratória, eles não só confirmaram a hipótese como descobriram que o tipo do microbioma pulmonar pode ajudar a identificar a gravidade da doença. Os resultados, publicados na revista PLOS ONE, poderão contribuir para a criação de tratamentos personalizados mais eficazes e até impedir que se chegue à condição crônica da asma. Autora principal do estudo, Patricia W. Finn conta que entender melhor mecanismos ligados aos transtornos respiratórios era algo que a desafiava havia algum tempo. “Tenho um interesse antigo no desenvolvimento de alergias e asma. Com o advento de tecnologias que nos permitem identificar milhares de espécies bacterianas que colonizam nosso corpo, resolvemos analisar a relação entre essas bactérias e a resposta imune asmática”, diz a também pesquisadora da Universidade de Illinois. Finn e a equipe analisaram um grupo de pacientes com idade entre 18 e 30 anos e asma leve ou moderada. Os pesquisadores usaram um exame semelhante à colonoscopia e testes de função pulmonar, como o sopro, para chegar a dois fenótipos de asma: AP1 e AP2. Novos desafios Tanto no fenótipo AP1 quanto no AP2, as associações entre a composição do microbioma e a presença de citocinas inflamatórias específicas diminuíram após o tratamento com a inalação de corticosteroide, uma terapia comum da asma. Para os pesquisadores, por meio dos novos biomarcadores, os médicos poderão identificar o tipo de asma e tratá-la com terapias específicas, prescrevendo, inclusive, a ingestão de probióticos. “Essa diferenciação poderia realmente ajudar em um tratamento personalizado, com o uso de um probiótico que auxiliasse a pessoa que tem asma, mas muito ainda precisa ser estudado para que essas suspeitas se confirmem”, ressalta Bruno Acatauassu Paes Barreto, especialista da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI). Segundo o especialista, a avaliação da microbiota pulmonar tem sido abordada também em estudos de alergias, como a dermatite atópica. Os investigadores reconhecem que muitas perguntas sobre a microbiota pulmonar e sua relação com a asma ainda precisam ser respondidas. A intenção deles é analisar principalmente a composição bacteriana de crianças, já que a asma é um problema que se manifesta geralmente nessa etapa da vida. “Estamos estudando ativamente a microbiota perinatal em relação a uma doença alérgica posterior. A intenção é entender não apenas como a microbiota influencia a doença depois que ela se manifestou, mas como essas bactérias podem originar a enfermidade”, adianta Finn. "Isso significa que as novas intervenções devem ser direcionadas a subtipos de asma para melhorar os resultados dos pacientes. Esses achados podem constituir a base para a medicina personalizada” Patricia W. Finn, autora principal do estudo e pesquisadora da Universidade de Illinois Por Vilhena Soares Correio Braziliense
 

Fique por Dentro

Antidepressivos funcionam, indica estudo para solucionar um dos maiores debates da medicina
22/02/2018 Cientistas dizem que chegaram a uma conclusão sobre um tema que é alvo de um dos maiores debates da medicina: a eficácia de antidepressivos.
Ler mais...
 
Regras da Anvisa evitam semelhanças de nomes de medicamentos
21/02/2018 Objetivo é reduzir erros de tratamento que possam provocar o agravamento da doença do paciente
Ler mais...
 
Brasil monitora danos à saúde provocados por medicamentos
21/02/2018 Anvisa conta com um sistema de informações que permite detectar situações de risco para pacientes e adotar medidas cautelares.
Ler mais...
 
Estudo investiga estrutura cerebral em pessoas transgêneros
21/02/2018 Pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo realizaram o primeiro estudo feito na América Latina que investigou volumes cerebrais de indivíduos transgêneros por meio de imagens de ressonância magnética.
Ler mais...
 
Depressão em adolescentes pode estar ligada a aumento na recompensa
20/12/2018 É no início da adolescência, uma fase de grandes transformações no corpo e na mente, que aumenta a frequência dos casos de depressão, marcada por uma sensação prolongada de tristeza, queda da autoestima e perda do prazer em realizar atividades antes agradáveis.
Ler mais...
 
©SBPPC - Sociedade Brasileira de Profissionais em Pesquisa Clínica - Denvolvido por:Boschi Design