SBPPC

 
Anvisa firma convênio com a USP para projeto de rastreabilidade de medicamentos
20/04/2017 A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) firmou hoje (19) um convênio com a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) para desenvolver um projeto-piloto de rastreabilidade de medicamentos. O modelo está sendo elaborado a partir da Lei 13.410 de 2016, sancionada nos últimos dias do ano passado. A nova legislação substituiu a norma anterior de criação de um sistema nacional de controle de medicamentos que vigorava desde 2009. “Apesar da excelente intenção da lei, que era responder às denúncias sobre falsificação de medicamentos, como toda a lei feita sob uma certa emoção do momento, ela se revelou não factível. Ela propunha implantar em três anos apenas um sistema que é complexo”, disse o presidente da Anvisa, Jarbas Barbosa, ao explicar por que não foi possível cumprir o estabelecido na lei anterior. Barbosa informou que o novo sistema está agora na fase de regulamentação, que tem prazo de quatro meses, prorrogáveis pelo mesmo período. Em seguida, deverá ser posto em prática, com auxílio do Hospital das Clínicas, vinculado à USP, o projeto-piloto de rastreabilidade. O convênio firmado hoje prevê investimento de R$ 5 milhões para elaboração desse modelo, que terá ainda apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). Os resultados obtidos na fase experimental serão avaliados por um período de até oito meses, para que, então, o sistema passe para a etapa de implementação, com prazo de até três anos. Barbosa destacou que a falta de exemplos internacionais faz com que a experiência brasileira seja pioneira em sua magnitude. “Nós não temos um país do tamanho do Brasil que implantou [esse tipo de sistema]”, disse ele, ao lembrar que existem experiências semelhantes na Turquia e na Argentina. O presidente da Anvisa espera que, ao final desse novo processo, o Brasil consiga elaborar um modelo que atenda às diversas necessidades em relação ao tema, abrangendo as assimetrias do país. “Um sistema factível, simples, que atenda à complexidade do país e se volte para apresentar aqueles resultados que são esperados: combater as fraudes, falsificação e possibilitar o gerenciamento de toda a cadeia de produção, distribuição e dispensação de medicamentos no nosso país”. Portal EBC
 

Fique por Dentro

Governo vê uso de brasileiro como cobaia por laboratório estrangeiro
19/08/2017 Obrigado a fornecer um medicamento de alto custo sem registro no país, o governo federal afirma ver indícios de que um laboratório estrangeiro esteja usando brasileiros como cobaias para estudos científicos. Os pacientes, por sua vez, dizem que o tratamento salva vidas.
Ler mais...
 
Fome é o fator que leva a célula tumoral a migrar pelo corpo, diz pesquisador
18/08/2017 O pesquisador britânico Colin Goding está convencido de que o mesmo fator que motivou o primeiro ser vivo unicelular a se movimentar pela Terra – há mais de 3 bilhões de anos – também é a razão pela qual algumas células tumorais se separam do tumor primário para colonizar outras partes do corpo: a busca por comida.
Ler mais...
 
Exame de sangue acusa o início do câncer, diz revista
17/08/2017 m dos maiores complicadores do câncer é o diagnóstico tardio, que pode reduzir consideravelmente as chances de cura de um paciente. Pesquisadores apostam em uma tecnologia computadorizada de mapeamento genético para sanar o problema.
Ler mais...
 
Mulheres com hepatite C: atenção aos anticoncepcionais
17/08/2017 Mulheres portadoras do vírus da hepatite C que utilizam o medicamento Viekira Pak (ritonavir/ombitasvir/veruprevir+dasabuvir) não devem usar anticoncepcionais orais contendo etinilestradiol. A Anvisa publicou um Alerta Sanitário para advertir os profissionais de saúde e as pacientes sobre os riscos de reações adversas graves decorrentes da interação entre os dois medicamentos. Essas orientações, inclusive, já constam na bula do Viekira Pak.
Ler mais...
 
Pesquisadores descobrem substância capaz de impedir reprodução do vírus da zika
15/08/2017 Através de testes em laboratório, pesquisadores da Fiocruz Pernambuco descobriram uma substância capaz de bloquear a reprodução do vírus da zika. Divulgada nesta terça-feira (15) pela entidade, a descoberta foi publicada na revista científica International Journal of Antimicrobial Agents na sexta-feira (11).
Ler mais...
 
©SBPPC - Sociedade Brasileira de Profissionais em Pesquisa Clínica - Denvolvido por:Boschi Design