SBPPC

 
OMS comemora grandes 'avanços' na luta contra doenças negligenciadas
9/04/2017 Organização Mundial da Saúde (OMS) comemorou, nesta quarta-feira (19), os "avanços sem precedentes" na luta contra 18 doenças tropicais neglicenciadas, entre elas a dengue, que deixam 170 mil mortos e milhões de deficientes a cada ano. A agência de Saúde da ONU, companhias farmacêuticas e grupos da sociedade civil liderados pela Fundação Bill e Melinda Gates travaram uma longa batalha para erradicar essas doenças, que são tratáveis, mas que até pouco tempo não tinham recebido muita atenção. "É realmente a história de um maravilhoso avanço", disse Bill Gates, o bilionário fundador da Microsoft, em Genebra, com ocasião da publicação do último relatório da OMS sobre a luta contra as doenças tropicais negligenciadas. "Nos últimos 10 anos, milhões de pessoas saíram da invalidez e da pobreza graças a uma das colaborações globais mais efetivas na saúde pública moderna", assegurou a diretora-geral da OMS, Margaret Chan, em um comunicado. Um total de 1,6 bilhão de pessoas sofrem com doenças negligenciadas, entre elas mais de 500 milhões de crianças, mas o número diminuiu desde 2010, quando mais de dois bilhões de indivíduos eram afetados por estas patologias, segundo a OMS. Declaração de Londres O esforço no combate a essas condições foi intensificado em 2012, quando os governos e a indústria farmacêutica assinaram a Declaração de Londres, na qual se comprometeram a dar recursos para ajudar a eliminar as doenças negligenciadas mais comuns. Desde então, as empresas doaram milhões de doses de tratamento, permitindo que um bilhão de pessoas obtivessem terapias para ao menos uma doença em 2015. Foram dados grandes passos para controlar algumas das piores doenças, incluindo a Dracunculíase, causada pelo verme da Guiné, que cresce no corpo dos que consomem água contaminada com pulgas aquáticas infectadas por este parasita. No ano passado, foram registrados apenas 25 casos dessa doença em humanos, uma redução drástica em comparação com os 900 mil de 1989, quando a patologia era endêmica em 21 países. A erradicação está "ao alcance", apontou a OMS. Também diminuíram muito os casos de tripanossomíase africana, mais conhecida como doença do sono, transmitida pela mosca tsé-tsé. Em 2015, foram registrados 2.804 afetados, em comparação com os 37.000 de 1999, indicou a OMS, que tem a meta de eliminar totalmente esta patologia até 2030. Embora tenha havido muitos progressos contra as doenças negligencias, a OMS advertiu que os avanços podem se estagnar se problemas mais amplos relacionados com a pobreza não forem enfrentados. A organização estima que 2,4 bilhões de pessoas ainda carecem de instalações básicas de saneamento, como banheiros e latrinas, enquanto quase dois bilhões usam fontes de água potável contaminadas com matéria fecal. Veja quais são as 18 doenças negligenciadas Úlcera de Buruli Doença de Chagas Dengue Dracunculíase Equinococose Trematodíase transmitida por alimentos Doença do sono (tripanossomíase africana) Leishmaniose Hanseníase (lepra) Elefantísase Micetoma Cegueira dos rios Raiva Esquistossomose Verminose transmitida pelo solo Teníase/ cisticercose Tracoma (conjuntivite granulomatosa) Bouba Por G1 via France Presse
 

Fique por Dentro

"Aedes aegypti" infectado com vírus chikungunya é identificado em Aracaju
23/06/2017 Um grupo de cientistas identificou pela primeira vez no Brasil, em Aracaju (SE), um mosquito da espécie Aedes aegypti infectado naturalmente pelo vírus causador da febre chikungunya. O relato foi publicado na revista PLoS Neglected Tropical Diseases.
Ler mais...
 
Medicamentos para doenças raras entram em discussão
21/06/2017 Os medicamentos destinados ao tratamento de doenças raras poderão ter registro mais rápido no Brasil. A doenças raras são aquelas que atingem até 65 indivíduos em cada 100 mil pessoas. A medida deve permitir que os pacientes destas doenças tenham acesso mais rápido aos tratamentos no Brasil.
Ler mais...
 
Técnica permite monitorar nanopartículas magnéticas em organismos vivos
21/06/2017 Um novo método para monitorar em tempo real a acumulação de nanopartículas magnéticas em órgãos como o fígado foi descrito por pesquisadores brasileiros na revista Nanomedicine: Nanotechnology, Biology and Medicine.
Ler mais...
 
Grupo investiga como a restrição de calorias beneficia o funcionamento celular
20/06/2017 Controlar o consumo de calorias no dia a dia é uma forma comprovada de evitar não só a obesidade como também diversas complicações relacionadas à idade, como diabetes, doenças do coração e do cérebro. Trata-se, portanto, de uma estratégia eficaz para aumentar a longevidade.
Ler mais...
 
Alterada norma sobre protocolo de documento em formato eletrônico
19/06/2017 A Anvisa publicou, na sexta-feira (16/6), a RDC n° 162. O regulamento altera a obrigatoriedade para a protocolização de documentos em formato eletrônico. Com isso, o protocolo de informações relacionadas aos assuntos de petições listados na IN n° 8, de 2016 poderá ser feito em mídia eletrônica ou papel, sendo necessário escolher uma das duas opções.
Ler mais...
 
©SBPPC - Sociedade Brasileira de Profissionais em Pesquisa Clínica - Denvolvido por:Boschi Design